terça-feira, 14 de abril de 2009

Teologia - uma visão radical da bíblia

OS DRAGÕES DA EXISTÊNCIA
Tipo: Teologia
Total de Páginas: 200 - não editado

Sinopse

A Origem
...
Meu caro jovem, só mais uma pergunta, por favor: - Me responda então, de onde surgiu esse macaco homem, e todas as espécies de macacos existentes? Você sabe?-
Bem...é muito complexo senhor, mas uma das hipóteses é que, tudo começou com um grão de poeira cósmica e, com o passar de bilhões e bilhões de anos, essa poeira se evoluiu para um micro organismo e, foi evoluindo, foi evoluindo... até formar o homem, entendeu?
- Sim. Eu entendi, mas continuo acreditando que foi Deus quem criou tudo isso. Tudo teria mais sentido, você não concorda?
Foi então que o jovem, já impaciente, olhou-me nos olhos e perguntou:
- Eu também tenho uma pergunta para o senhor.
- Pois não, faça a sua pergunta, jovem.
- Me responda então, de onde surgiu Deus? O senhor sabe?
- Bem...é muito complexo jovem, mas uma das hipóteses é que, tudo começou com um grão de poeira cósmica e, com o passar de bilhões e bilhões de anos, essa poeira se evoluiu para uma micro partícula espiritual e, com mais outros bilhões e bilhões de anos, foi evoluindo, foi evoluindo... até se formar Deus, entendeu?
...Deus, Natureza e o Homem: Quem é Criador e quem é criação?
Deus auto-existiu e provocou a criação da natureza e do homem. Tudo na natureza leva a crer que, ela foi projetada nos mínimos detalhes, e com perfeição. É evidente, também, que o homem não faz parte desse sistema. A natureza, por si, permaneceria em eterna harmonia, se não houvesse a interferência do homem, o que prova que, o homem é um elemento externo, ou seja, um invasor, forasteiro e predador.O homem não foi um macaco da natureza, que se evoluiu. O homem foi imposto à natureza.
Se aceitarmos a inexistência de um Criador, resta-nos acreditar que a natureza e o homem, auto-existiram, mas, se aceitarmos a hipótese de que Deus auto-existiu, então, a natureza e o homem foram criados, de conformidade com um projeto, objetivando os desígnios do seu Criador. Como sou obrigado a optar por uma das duas hipóteses, e não existem outras, fico com a mais lógica.
***
Parte do Capítulo: O Nada

“Do abismo do Tao nasce a vida;
É mantida pelo poder da vitalidade,
Manifestada pela materialidade,
E completada pelo livre arbítrio da vida “.

(Do livro “Tao Te Ching” de Lao-tsé)
***
Da vacuidade, nasce a plenitude. O vácuo e o pleno. A plenitude se dividiu em o nada e o tudo. O nada não é o vácuo. O vácuo é absolutamente vazio. O nada não é vazio, só parece vazio, mas não é vazio. Do nada, criou-se o tudo. O Nada é a Inexistência. A Inexistência é o Nada. E do Nada, auto-existiu a existência. A existência é o tudo. O tudo é o Criador e o Criador é a existência. Assim é o Tudo ou o Nada. O Nada se criou do Tudo e o Tudo se criou do Nada. Existiram ou, inexistiram, simultaneamente.
Da mesma forma como não se pode dizer quem existiu primeiro, se o: alto ou o baixo, a frente ou o trás. Um não existe ou inexiste sem o outro. Um é a causa da origem do outro. Se não existe o alto, o baixo deixa de existir, pois sem uma referência, não há diferença. Tudo é relativo. O baixo com relação ao alto, e vice-verso. A morte só existe na vida. A vida só existe na morte. Nascemos para morrer e morremos para nascer. Todo o dia, morremos um dia. Um dia a menos de vida.
Tudo é dual. Assim é, a dimensão da eternidade. A Inexistência é o plano anti-espiritual, ou seja, o contrário de espiritual. A existência é o plano espiritual, ou seja, o contrário do anti-espiritual. O plano anti-espiritual, nada tem a ver com o plano material. O plano material não é o contrário do plano espiritual, visto que a luz espiritual não pode ser o contrário da escuridão provocada pela ausência da luz do astro solar. O contrário de material é imaterial, que não quer dizer espiritual. Assim como existe a luz do sol, e a escuridão pela ausência da luz do sol, também existe a luz espiritual e as trevas espirituais, ou seja, a ausência da luz espiritual. A luz solar e a falta dela (escuridão) são elementos do mundo material e, a luz espiritual e as trevas espirituais, são de natureza do mundo espiritual. Treva espiritual é o contrário de luz espiritual, e Abismo espiritual é o contrário de substância espiritual. Trevas espirituais é grau zero de luz e de perfeição, e Abismo espiritual é grau zero de matéria espiritual (substância bruta compacta).

Minha lista de blogs preferidos