sexta-feira, 23 de outubro de 2009

A necessidade faz o ladrão ou a ocasião?



Ocasião
[Do lat. occasione.] Substantivo feminino. “Oportunidade para a realização de algo; conjuntura favorável ou oportuna de tempo e lugar para que se dê ou se realize algo: ocasião de agir.”

Necessidade
[Do lat. necessitate.] Substantivo feminino. "Aquilo que é inevitável, fatal. Aquilo que constrange, compele ou obriga de modo absoluto: Exemplo:
“Viu-se ante a necessidade de ceder" (defecar).

Se é verdade que a necessidade faz o ladrão, alguém honesto que se vendo diante de uma situação desesperadora, é capaz de passar por cima dos seus princípios e cometer um roubo, também, é verdade que a necessidade faz a ocasião.

Primeiro surge à necessidade, no caso, aquela dor de barriga, oriunda de distúrbios intestinais – culpa do peito de peru do boteco - e começa a pressão da natureza física. O tsunami quer explodir pela minúscula boca do vulcão; a pessoa começa a suar, a batidas cardíacas perdem o equilíbrio, e as pisadas no asfalto são suaves, como se pisassem em casca de ovo. Claro! Quem vai se arriscar a pisar forte e correr o risco de sentir as pernas molhadas pela onda rebelde, quando a rolha saltar da boca do monstro zangado? Um banheiro público, sujo e sem papel higiênico ou não, esta há anos luz de distância. Aliás! Qualquer distância é extensa nesse momento. Você olha para todos os lados procurando um milagre. Que sinuca de bico! O monstro ronca agressivamente dentro de você. São explosões e deslocamentos internos. Tudo começa a girar, porque você sente medo. Medo não! Você se apavora. O que será que vai acontecer? Meu Deus! Tire-me dessa enrascada. Eu farei qualquer coisa; serei bom com os mendigos; com a minha sogra; com o meu vizinho do som alto... Meu Deus!
Não tem solução normal. A sua necessidade é imperativa categórica. É mais forte que você e pode romper as resistências das suas pregas naturais, antes que você pisque os olhos. Pode romper? Vai romper. Privação dos sentidos. As vistas escurecem e quando a luz retorna, a ocasião se apresenta, bem a sua frente. Deus atendeu as suas preces e criou a ocasião - "lugar para que se dê ou realize algo". Você não tem tempo para pensar ou recusar e... Bummmmm!!!!!!.
Merda para o mundo todo; para a sociedade; para os chatos e as chatas, para toda a humanidade. Esse é o maior de todos os alívios existentes no cosmo. É o céu!

Eu vi o instante fatal em que o infeliz mandava merda para o mundo. Eu não pude negar um clic no meu celular. Precisava eternizar aquele momento. Bem ali, no centro de São Paulo, na esquina da Rua Santo Antonio, a cem passos da câmara dos vereadores. A merda foi para eles também, para aqueles que recebem verbas indevidas de associações, empresas ou lobistas piratas. Tomara que a força do tsunami sopre esses detritos fétidos até as cabeças dos malfazejos políticos do congresso nacional, lá em Brasília e, também, sobre os seus respectivos lobistas. Se eles não existissem, o povo estaria no céu. Bem mais aliviados.

Minha lista de blogs preferidos